terça-feira, 31 de março de 2009

Atelier Culinário ensina segredos de petiscos

Atelier Culinário ensina segredos de petiscos que são sucesso em bares da Capital

Com ingredientes de fácil acesso e simplicidade a gastronomia dos bares da capital mineira ganham o paladar não só dos mineiros, mas te todos que a experimentam.

Ideal para acompanhar a cervejinha gelada, os petiscos de boteco ganham fama pelo sabor, criatividade nos nomes dos pratos e, principalmente, pela simplicidade de seus ingredientes. Quem nunca fez em casa aquela mandioca frita com bacon ou aquele tropeiro? Mas, garanto que não ficou com o mesmo sabor dos que são preparados pelos botecos da cidade.

O segredo do sucesso dessa gastronomia está no preparo, com truques que fazem toda a diferença e que transformam pratos, até então simples, em verdadeiros manjar dos deuses. Como o ‘segredo é a alma do negócio’, proprietários e cozinheiros não revelam os truques que fazem toda a diferença.

Mas, no Cida Gomes Atelier Culinário, os botequeiros de plantão podem aprender a fazer as delícias que são servidas nos happy hour da capital mineira, para acompanhar aquela cervejinha gelada em casa.

O curso, “Comidas de Boteco”, acontece no dia 4 de abril, sábado, às 10h. O cardápio tem costelinha de adão (costelinha de porco agridoce); mandioca agarrada no bacon (mandioca frita com bacon); dando um rolê por aí (alcatra recheada e molho de tomate cereja); tropeirim mineirim juntinho de couve com aiô (feijão tropeiro com couve); borogodó (carne-de-sol com baião-de-dois). Tudo a um investimento de 85 reais.

O curso será ministrado pela professora de culinária Cida Gomes, formada pelo Senac como cozinheira profissional. Além disso, Cida é também Personal Chef, consultora em gastronomia e proprietária e chef de Cozinha do Cida Gomes Atelier Culinário.

O Cida Gomes Atelier Culinário fica na Rua do Ouro, 696 - Serra. As inscrições serão aceitas mediante pagamento antecipado de 50% (cinqüenta) do valor do curso. O Atelier conta com segurança nas aulas da noite para vigiar os carros e acompanhar os alunos até seus veículos e oferece descontos aos filiados a FENCOM (Federação Nacional das Cooperativas Médicas), SINDI-MP (Sindicato dos Promotores e Procuradores de Justiça do Estado de Minas Gerais), UNAFISCO-MG (União Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal), Clube de Assinantes do Jornal Estado de Minas, Clube de Assinantes do Jornal o Tempo e Rede Fideliza. O Atelier ainda oferece desconto para associados e funcionários da AMMG (Associação Medica de Minas Gerais), exceto para os cursos ministrados por chefes convidados.

ROTEIRO GASTRONOMIA:
Curso “Comidas de Boteco”
Data: 4 de abril (sábado)
Horário : 10h
Contatos : (31) 3086-2182
Preço: R$ 85,00 (Oitenta e cinco reais)
Local: Cida Gomes Atelier Culinário
Rua do Ouro, 696 Serra – BH/MG


Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Marianna Moreira
(31) 3225 - 1116/3221 - 9241/8899 - 0353
ampla@amplacomunicacao.com.br
www.amplacomunicacao.com..br

Continuamos a exigir a verdade sobre a ditadura

No dia 31 de março de 1964, sob o pretexto de deflagrar um enfrentamento ao que os conservadores chamavam de “política populista” implantada no país” e de “impedir” o avanço comunista, militares – com apoio explícito de grande parte da elite brasileira – depuseram o presidente João Goulart.

A ditadura militar implantada então se estendeu por 21 anos, extinguiu partidos políticos, inibiu e interveio em movimentos sociais, universidades e centros de pesquisa, mudou a história da arte e da cultura brasileiras e vitimou milhares de pessoas – com prisões, tortura, exílio e morte.

Quarenta e cinco anos depois, o Brasil ainda não sabe o paradeiro de muitas centenas de pessoas e desconhece como se deu e porque se deu boa parte das ações deflagradas pelos sucessivos governos militares.

Em 2007, o Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) lançou a campanha nacional pelo Direito à Memória e à Verdade cujo objetivo é “sensibilizar, mobilizar e capacitar (a sociedade) para construir uma luta que articule diversos agentes sociais, a fim de aprofundar a compreensão da memória e da verdade como direitos humanos; pautar a sociedade brasileira sobre a necessidade de garantir acesso às informações e de construir a verdade sobre o período da ditadura militar; mobilizar lideranças sociais, pesquisadores, movimentos sociais para a importância da luta pelo direito à memória e à verdade e desenvolver ações de revisão e de formulação da legislação de tal forma a garantir o direito à memória e à verdade”.

Gilson Cardoso, Coordenador Nacional do MNDH lembra da importância da campanha do MNDH. “A idéia do Movimento não foi e não é abrir uma guerra com as Forças Armadas e com as elites conservadoras deste país. Mas é importante o resgate da memória desse período, até para que ele não volte a se repetir mais”.

Na época do lançamento da campanha, o coordenador nacional de formação do MNDH, o professor Paulo César Carbonari, conclamava os participantes do evento para que não fossem “apenas espectadores".

Ele lembrava, naquela oportunidade, que o Brasil tem “uma história de violações, esquecimentos, ausências e pactuações”, mas, também, o país é marcado pela ”resistência, indignação, denúncia e pela presença de grupos e pessoas a favor” dos direitos humanos.

“Na fala de Carbonari tem uma coisa bastante importante - lembra Gilson Cardoso: a luta é onde estão fincadas as raízes dos direitos humanos. Ler a história é reconhecer os sujeitos individuais e coletivos que a fazem. Fazer história é fazer opções concretas.”

“Todos nós devemos concordar com ele quando diz que este país - ao longo de sua história - fez opções pela desigualdade, pela violência, pelo esquecimento e pelo silêncio. E é isso que devemos enfrentar”, diz Gilson Cardoso.

Carta de Brasília

No dia Brasília, 18 de agosto de 2007, foi divulgada a Carta de Brasília pelo Direito à Memória e à Verdade como Direitos Humanos (que pode ser acessada em sua íntegra clicando-se aqui), lembrando que na “história do Brasil houve muito arbítrio, repressão e exploração que alimentou mortes, esquecimentos, ausências, silêncios, sofrimentos, dor e violações de direitos”.

“Houve opções pela desigualdade, pelo autoritarismo, pela violência, pelo esquecimento, que até hoje marcam as profundas contradições presentes na sociedade (...)”, mas “estamos certos de que o povo organizou a resistência, manteve viva a indignação e não se calou. Por isso, estamos convictos de que a luta pelos direitos humanos no Brasil está presente em toda a história e em cada uma das ações e das organizações que mulheres, negros/as, jovens, idosos, pessoas com deficiência, povos da floresta, trabalhadores/as urbanos/as e rurais, crianças e adolescentes, enfim, todos/as que nos reconhecemos como "pobres da terra", realizamos pela libertação”.

“Temos de ter sempre presente, diz Gilson Cardoso, que – como diz a própria Carta de Brasília - não somos expectadores passivos da história que nos contam ou na qual querem nos fazer acreditar. Somos sujeitos que fazem a história como luta pelo reconhecimento. A memória e a verdade são bens públicos com os quais construímos identidades pessoais, sociais e culturais. Por isso, constituem-se em direitos humanos.”

“Queremos, sim, e exigimos, sim, a implementação de políticas de incentivo e fomento à pesquisa e publicação de seus resultados e à produção de material didático, audiovisual, eletrônico e de todo tipo para a ampla difusão de conhecimentos sobre a história recente do país, especialmente do período da ditadura, como diz nosso documento de 2007”, afirma o coordenador nacional do MNDH.

“A história não pode ser alterada, falseada, mudada ao sabor dos interesses de quem quer se seja. Todos temos direito a ela”, finaliza Gilson Cardoso

“Temos certeza de que somente nosso compromisso fará ecoar nossas vozes, afastando o silêncio que insistem em nos impor. O engajamento de todos/as é que fará com que a memória dos que tombaram, e continuam tombando na luta pelos direitos humanos, não seja em vão” – finaliza a Carta de Brasília.

No dia 31 de março de 1964, sob o pretexto de deflagrar um enfrentamento ao que os conservadores chamavam de “política populista” implantada no país” e de “impedir” o avanço comunista, militares – com apoio explícito de grande parte da elite brasileira – depuseram o presidente João Goulart.

A ditadura militar implantada então se estendeu por 21 anos, extinguiu partidos políticos, inibiu e interveio em movimentos sociais, universidades e centros de pesquisa, mudou a história da arte e da cultura brasileiras e vitimou milhares de pessoas – com prisões, tortura, exílio e morte.

Quarenta e cinco anos depois, o Brasil ainda não sabe o paradeiro de muitas centenas de pessoas e desconhece como se deu e porque se deu boa parte das ações deflagradas pelos sucessivos governos militares.

Em 2007, o Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) lançou a campanha nacional pelo Direito à Memória e à Verdade cujo objetivo é “sensibilizar, mobilizar e capacitar (a sociedade) para construir uma luta que articule diversos agentes sociais, a fim de aprofundar a compreensão da memória e da verdade como direitos humanos; pautar a sociedade brasileira sobre a necessidade de garantir acesso às informações e de construir a verdade sobre o período da ditadura militar; mobilizar lideranças sociais, pesquisadores, movimentos sociais para a importância da luta pelo direito à memória e à verdade e desenvolver ações de revisão e de formulação da legislação de tal forma a garantir o direito à memória e à verdade”.

Gilson Cardoso, Coordenador nacional do MNDH lembra da importância da campanha do MNDH. “A idéia do Movimento não foi e não é abrir uma guerra com as Forças Armadas e com as elites conservadoras deste país. Mas é importante o resgate da memória desse período, até para que ele não volte a se repetir mais”.

Na época do lançamento da campanha, o coordenador nacional de formação do MNDH, o professor Paulo César Carbonari, conclamava os participantes do evento para que não fossem “apenas espectadores".

Ele lembrava, naquela oportunidade, que o Brasil tem “uma história de violações, esquecimentos, ausências e pactuações”, mas, também, o país é marcado pela ”resistência, indignação, denúncia e pela presença de grupos e pessoas a favor” dos direitos humanos.

“Na fala de Carbonari tem uma coisa bastante importante - lembra Gilson Cardoso: a luta é onde estão fincadas as raízes dos direitos humanos. Ler a história é reconhecer os sujeitos individuais e coletivos que a fazem. Fazer história é fazer opções concretas.”

“Todos nós devemos concordar com ele quando diz que este país - ao longo de sua história - fez opções pela desigualdade, pela violência, pelo esquecimento e pelo silêncio. E é isso que devemos enfrentar”, diz Gilson Cardoso.

segunda-feira, 30 de março de 2009

8ª Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente

8ª Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente

Confira orientações para etapas municipal, estadual, distrital e nacional

Obs.: o texto base encontra-se anexo.

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) divulgou esta semana o documento contendo as orientações mínimas para a realização das etapas municipal, estadual, distrital e nacional da 8ª Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente, que serão realizadas neste ano de 2009.

Convocada pelo Conanda, a Conferência tem o desafio de elaborar diretrizes para uma Política Nacional de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente que garanta integralidade e consolide as políticas temáticas já vigentes, como as de combate à exploração sexual e erradicação do trabalho infantil e de promoção do direito de meninos e meninas à convivência familiar e comunitária.

A Conferência ocorre em três etapas, nas quais municípios e estados, a partir de um diagnóstico de suas realidades, debatem as estratégias para promoção, proteção e defesa dos direitos de meninos e meninas.

Esse processo de construção coletiva das diretrizes nacionais da Política de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente subsidiará a elaboração de uma proposta preliminar para o plano decenal, que deve ser concluída em julho de 2010, quando se comemoram os 20 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Tema, objetivo e eixos orientadores

Tema

“Construindo Diretrizes da Política Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescentes e do Plano Decenal” .

Objetivo

Analisar, definir e deliberar as diretrizes da Política Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescentes, com vista à elaboração do Plano Decenal da Política dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Eixos orientadores

1. Promoção e universalização dos direitos em um contexto de desigualdades;
2. Proteção e defesa no enfrentamento das violações de direitos humanos de crianças e adolescentes;
3. Fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos;
4. Participação de crianças e adolescente nos espaços de construção da cidadania;
5. Gestão da Política.

Princípios para uma Política Nacional

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) define como princípios da Política Nacional de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente cujos subsídios serão construídos a partir da 8ª Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente:

· O reconhecimento da criança e do adolescente como sujeitos de direitos, pessoas em condição peculiar de desenvolvimento, capacitadas para participar de decisões sobre sua vida;

· O respeito aos direitos humanos de crianças e adolescentes assegurados nas normas nacionais e internacionais existentes;

· A igualdade e o respeito à diversidade;

· A universalidade dos direitos e das políticas sociais, políticos, econômicos, culturais e ambientais;

· A equidade e justiça social, por meio do desenvolvimento de programas e ações específicos para os grupos sociais historicamente discriminados;

· A garantia de que crianças e adolescentes sejam considerados prioridade absoluta no que se refere à proteção e socorro, atendimento nos serviços públicos, bem como na formulação, destinação de recursos e execução de políticas públicas.

· A descentralização político-administrativa e a municipalização, com vistas à garantia de financiamento das ações de forma compartilhada pelas três esferas de governo;

· A participação da sociedade civil, importante instrumento de controle social e de garantia da transparência dos atos do poder público;

· A articulação das várias esferas de poder e também entre governos e a sociedade civil, respeitadas as especificidades das competências de cada uma das partes. Essa articulação pressupõe, ainda, a integração com os poderes Legislativo e Judiciário;

· A articulação, integração e intersetorialidade das políticas, programas e serviços;

· A transparência da gestão do Estado, com respeito à legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, com transparência na gestão e controle social;

· A formulação da Política Nacional de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente será finalizada em julho de 2010, com a aprovação de um Plano Decenal que projete as suas diretrizes como prioridades de Estado, e não apenas de governos, com prazos reduzidos.

Calendário

A 8ª Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente será realizada em três etapas distintas, nas quais municípios e estados, a partir de um diagnóstico de suas realidades, debatem as estratégias para promoção, proteção e defesa dos direitos de meninos e meninas.

Confira o cronograma de atividades:

* Conferências municipais

Deverão ser realizadas até 30 de junho de 2009, por município, individualmente, ou por grupos de municípios de uma mesma região.

* Conferências estaduais e distrital

Deverão ser realizadas até 15 de setembro de 2009, competindo aos conselhos Estadual e Distrital dos Direitos definir a participação dos delegados municipais.

* Conferência Nacional

Acontece de 7 a 10 de dezembro de 2009.

Fundação Itaú Social - Curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais

Fundação Itaú Social oferece curso de avaliação econômica de projetos sociais

Estão abertas até 25, 29 de março e 1º de abril (respectivamente) as inscrições para o curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais da Fundação Itaú Social, em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. O curso oferece aos participantes acesso a metodologias e ferramentas específicas para avaliar o impacto de projetos e calcular o retorno econômico para os atendidos.

Em São Paulo, será ministrado pela doutora em economia pela Faculdade de Economia Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo e docente do Departamento de Economia da FEA-RP/USP Elaine Toldo Pazello.

Em Belo Horizonte, será ministrado por Betânia Totino Peixoto, doutora em economia pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Universidade Federal de Minas Gerais.

No Rio de Janeiro, será ministrado pela doutora em economia pela Pontifica Universidade Católica do Rio de Janeiro Joana Monteiro.

Podem se inscrever gestores de projetos sociais de organizações não-governamentais, órgãos governamentais, institutos e fundações empresariais. Os inscritos devem ter experiência no uso de Excel e noções básicas de matemática financeira e estatística.

O curso é uma das ações do Programa de Avaliação Econômica de Projetos Sociais, desenvolvido em parceria com a área de Controles de Risco e Financeiro do banco Itaú, sob orientação dos economistas Sérgio Werlang, vice-presidente, e Naercio Menezes, consultor.

Esse programa, desenvolvido desde 2004, já capacitou cerca de 390 gestores e atua na disseminação da cultura de avaliação econômica, por meio, principalmente, de seminários, cursos e avaliação de projetos sociais próprios e de organizações parceiras da Fundação Itaú Social.

O curso é gratuito, tem carga horária de 72 horas.

São Paulo
De 4 de abril a 11 de julho de 2009, no Centro de Treinamento Itaúsa – Acesso Chafariz, na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, 100. As aulas serão ministradas aos sábados, das 9h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h.

Belo Horizonte
De 1º de abril a 9 de julho de 2009, na Fundação Dom Cabral (R. Bernardo Guimarães, 3071, Santo Agostinho). As aulas serão ministradas às quintas-feiras, das 13h às 19h30, exceto nos dias 1º de abril (quarta-feira), das 14h às 16h, e 8 de abril (quarta-feira), das 13h às 16h.

Rio de Janeiro
De 6 de abril a 29 de junho de 2009, no CT Rio Pio X – Rua da Alfândega, 28 – 11º andar – Centro, exceto nos dias 6 de abril e 29 de junho, quando será realizado no Auditório da Aberj – Av. Rio Branco, 81 – 19º andar. Centro. As aulas serão ministradas às segundas-feiras, das 13h às 19h30.

As informações estão disponíveis na página da Fundação Itaú Social (www.fundacaoitausocial.org.br ), onde os interessados também podem inscrever-se. As vagas são limitadas.

Documentário Brasileiro - Vidas no Lixo

Documentário: Vidas no Lixo

Diretor Alexandre Stockler
Elenco Crisleide Carvalho de Mello, Graziele Carvalho de Paula, Leandro da Silva Messias
2008 - 15 min - Brasil

Sinopse:

Este curta faz parte do projeto Marco Universal. O filme mostra crianças e adolescentes que vivem do lixo. Enquanto reviram sacos de lixo pelas ruas e recolhem materiais úteis para vender a empresas de reciclagem, crianças - que se alimentam deste mesmo lixo - falam sobre suas vidas, suas famílias, seus sonhos e desejos de estudar, mas logo sua avassaladora realidade se impõe com a gravidez inesperada de uma menina de 14 anos.

Para acessar:

Documentário: Vidas no Lixo

ou

Documentário: Vidas no Lixo

Lançamento do Livro "Belos 111 Horizontes"

Historiadora lança livro que resgata os mais belos horizontes da capital mineira
06 de Abril


Aos 111 anos, completados em 12 de dezembro 2008, a capital mineira ganha mais uma homenagem com o livro “Belos 111 Horizontes”, da historiadora Roberta de Souza Domingues Oliveira.

O lançamento do livro será no dia 06 de abril (segunda-feira), a partir das 19h, no Espaço Cultural Terraço Leitura (Leitura Pátio Megastore - Av. Contorno, 6061, 3º andar - Savassi).


Em “Belos 111 Horizontes”, Roberta relembra toda a história da região onde está localizada a capital mineira. O resgate histórico começa no ano 1690 e termina em 2008, quando a cidade completou seus 111 anos.

Nos dez capítulos que compõem o livro, Roberta apresenta a capital mineira em diversos campos, como o político, cultural, turístico, social e esportivo. “Abordo no livro diversos pontos que estão envolvidos na evolução da cidade. Falo dos prefeitos desde Adalberto Ferraz até Márcio Lacerda. Defendo o patrimônio e aponto descasos das autoridades com os bens culturais. Falo do esporte e de monumentos de arte. Mostro BH atual, com o avanço no trato com o bem de todos, e alguns bairros”, conta a autora.

Segundo a historiadora, este livro é um presente de sua família à cidade. Por isso, todos os familiares estão envolvidos no projeto. “Este é um presente da família Souza Domingues para a cidade em que moramos. Nossa paixão por Belo Horizonte é transmitida geneticamente. Temos orgulho e satisfação de ter no peito um coração belo-horizontino”, afirma Roberta, que é Bacharel em História pela UNI-BH.

“Belos 111 Horizontes” é um título apropriado, já que o objetivo do livro, segundo a autora, é divulgar BH para turistas, incentivando-os a visitar Belo Horizonte. Além de divulgar a cidade para os moradores que não tiveram tempo e nem curiosidade para notar quanto lugar bonito tem por aqui.

Para aguçar ainda mais o desejo dos leitores de visitar a cidade, o livro vem acompanhado de um DVD com 111 fotos de Belo Horizontes.

Agenda:
Lançamento do Livro “Belos 111 Horizontes”
Autora: Roberta de Souza Domingues Oliveira
Data: 06 de abril (segunda-feira) / Horário: 19h
Local: Espaço Cultural Terraço Leitura
(Leitura Pátio Megastore – Av. do Contorno, 6061
3º andar – Savassi) / Entrada Franca

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação :
Marianna Moreira e Liège Camargos
(31) 3225-1116 / 3221-9241 / 8899-0353
imprensa@amplacomunicacao.com.br

sexta-feira, 27 de março de 2009

Feira de Histórias - Homenagem às Mulheres

Feira de Histórias faz mais uma homenagem às mulheres no último sábado do mês (28/03)

O projeto Feira de Histórias (Feira Tom Jobim - Avenida Bernardo Monteiro, próximo ao Colégio Arnaldo) preparou mais uma homenagem às mulheres para o último sábado deste mês. No dia 28 de março, o Instituto Cultural Aletria convidou as contadoras de histórias Sandra Bittencourt e Zenaide Corrêa, e os músicos Babu e Max Fontes, para apresentarem o espetáculo “Tenda da Lua”, a partir das 11h.


O espetáculo deste sábado reverencia a maturidade feminina e faz uma comovente e profunda homenagem àquelas mulheres que souberam acumular sabedoria ao longo de suas existências, fazendo um doce convite ao ouvinte, para que se acomode e deguste as narrativas que prometem encantar quem estiver presente. Histórias como ‘O amor de Gibran Kalil’, ‘A Bela Fahima’, ‘O truque da carta’, ‘A esposa astuciosa’, ‘É preciso manter o diálogo’, ‘A donzela que era mais sábia que o czar’, ‘O relógio’, ‘As duas jóias’ e ‘Elementos femininos’, estarão presentes na programação. A apresentação terá início logo após a abertura musical e o Momento COPASA.

O Feira de Histórias tem entrada franca e é destinado ao público de todas as idades. O projeto conta com apoio cultural da COPASA e faz parte da revitalização da Feira Tom Jobim.

AGENDA: “Feira de Histórias - “Tenda da Lua”
Data: 28 de março de 2009 (sábado)
Horários: 11h às 13h (Feira de Histórias)
Local: Av. Bernardo Monteiro, s/n, entre a Av. Brasil e a Rua dos Otoni - Funcionários
Informações: (31) 3296-7903 e
http://www.aletria.com..br/ (Instituto Cultural Aletria - Belo Horizonte - MG) - Entrada Franca

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Rachel Wardi
(31) 3221-9241/3225-1116/8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br
http://www.amplacomunicacao.com.br/

Rachel Wardi Lopez
Ampla Soluções em Comunicação
Rua Juiz da Costa Val, 157 / sala 13 - Santa Efigênia
(31) 3221-9241 - (31) 3225-1116 - (31) 8854-2425
rachel@amplacomunicacao.com.br

Linguagem e Evolução - Palestra no Estação Pátio Savassi

"Linguagem e Evolução" encerra ciclo de palestras de março do Estação Pátio Savassi

No dia 28 de março, o projeto Estação Pátio Savassi apresenta a palestra “Linguagem e evolução”, que será ministrada pela Mestre e Doutoranda em Estudos Lingüísticos , Maria Carolina Ferreira Reis. A palestra encerra o mês de março, que teve como tema “Quero saber... Estamos evoluindo?”. O encontro acontece a partir das 11h, no anfiteatro (L2) do Pátio Savassi (Av. do Contorno, 6061 - Savassi).

A palestra será uma breve reflexão sobre o papel da linguagem na evolução humana, assim como a participação da evolução humana no desenvolvimento da linguagem. Para tanto, é preciso confrontar as principais concepções de linguagem presentes não só na literatura lingüística, mas também nas práticas sociais a ela relacionadas. Mais especificamente, Carolina pretende discutir de que maneira a evolução tecnológica tem influenciado as práticas de linguagem. Irá discutir também se o novo acordo ortográfico pode ser considerado um avanço ou um retrocesso para consolidar a Língua Portuguesa como uma das mais difundidas no mundo.


Maria Carolina Ferreira Reis é Doutoranda e Mestre em Estudos Linguísticos e possui graduação em Letras pela UFMG. É professora de Língua Portuguesa e coordenadora do Projeto DOMínio Lingüístico, da Escola Superior Dom Helder Câmara - BH. Desenvolve trabalhos e projetos sociais na área de lingüística, ensino de línguas (português e inglês) e educação. É orientadora de pesquisa em cursos de graduação, ministra cursos de Língua Portuguesa e Língua Inglesa para concursos, além de ser revisora e tradutora de textos e trabalhos acadêmico-científicos.

O projeto do Shopping Pátio Savassi com curadoria da Estação do Saber tem a proposta de levar intelectuais, escritores e profissionais renomados para palestras gratuitas e bate-papos com o público no anfiteatro do shopping. No ano de 2009, foi criada uma programação mais interativa, buscando uma maior participação do público nas discussões através do fórum no site da Estação do Saber (
www.estacaodosaber.art.br), ou através de e-mails.

Agenda: “Estação Pátio Savassi – Palestra: Linguagem e evolução”
Data: 28 de março de 2009, sábado // Horário: 11h
Local: Pátio Savassi – Av. do Contorno, 6061 Savassi – Belo Horizonte – MG
SAC Pátio Savassi: (31) 3263-8500
Entrada Franca
Informações para a imprensa:
Estação do Saber: Ampla Soluções em Comunicação
Liège Camargos / Rachel Wardi
(31) 3225-1116/3221-9241/8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br
www.amplacomunicacao.com.br

Pátio Savassi: Hipertexto Comunicação Empresarial
Cilene Impelizieri – (31) 3227-4566/3223-5137
hipertexto@hipertextoweb.com.br
www.hipertextoweb.com.br

Rachel Wardi Lopez
Ampla Soluções em Comunicação
Rua Juiz da Costa Val, 157 / sala 13 - Santa Efigênia
(31) 3221-9241 - (31) 3225-1116 - (31) 8854-2425
rachel@amplacomunicacao.com.br

Anime Festival Party - Belo Horizonte

Anime Festival Party será realizado no Colégio Marista Dom Silvério em Belo Horizonte (18 e 19/4)

Nos dias 18 e 19 de abril, Belo Horizonte (MG) abrigará a 10ª edição do maior festival de Anime, Mangá, RPG e Games que a capital mineira já viu. É o Anime Festival Party, megaevento que será realizado no Colégio Marista Dom Silvério (Rua Lavras, 225 – São Pedro), com organização da Animecon Eventos.

Voltado para o público jovem, o Anime Festival já reuniu mais de 15 mil pessoas em uma única edição em BH, e esta popularidade se deve à reunião de várias atividades em um único espaço. A programação abrange todas as faixas etárias, entre 6 e 30 anos, e é um programa voltado para toda a família.

No evento, os participantes vão encontrar não apenas anime e mangá, mas também:

· Workshop de Desenho de Mangá
· Workshop de Garage Kits
· Concurso de Ilustração
· Concurso Cosplay
· Salas para partidas de fliperama e máquina de dança
· Exibições de Desenhos Animados Inéditos no Brasil
· Exposições de Ilustrações
· Exposição de Garage Kits
· Karaokê
· Show de Bandas
· Mostras de Artes Marciais Orientais
· Palestras
· Feira de Fanzine
· Gincanas diversas
· Estandes de Lojas
· Torneios de vídeo game
· Torneios de card game
· Torneios de RPG

A novidade desta edição é o prêmio de R$1.000,00 em dinheiro para o melhor cosplay (fantasia) que se apresentar no concurso.




Para a garotada, haverá brinquedos infláveis, touro mecânico, combates medievais com espadas de espuma e muito mais.

A Animecon é a precursora da expansão dos quadrinhos no Brasil nos últimos anos. Esta marca pode ser demonstrada pela quantidade de mangás em português lançados nas bancas desde 1999, quando realizou o primeiro evento no Brasil, realizado em São Paulo e chamado Animecon.

Anime Festival Party BH
Data: 18 e 19 de abril
Horário: 12h às 20h
Local: Colégio Marista Dom Silvério (Rua Lavras, 225 – São Pedro)
Ingressos: R$ 15,00 (meia entrada)

Postos de venda oficiais:
Leitura Savassi – (31) 3281-6169
Bits Games – (31) 3271-9537
BH Anime – (31) 3284-0817
No dia do evento: Portaria 1 do Maristinha (Rua Lavras, 225 – São Pedro)
Informações: (11) 5841-8931 e
www.animefestival.com.br

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Marianna Moreira
(31) 3225-1116 / 3221-9241 / 8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br

Classe cultural contra a crise

Convocação Geral - Classe cultural mineira reunida para discutir a crise

Data: segunda-feira, 30 de março
Local: Teatro Alterosa – Av. Assis Chateaubriand, 499, Floresta – BH/MG
Horário: 20h
Informações: www.forumcultural.blog.br

A complexidade da crise financeiro-econômica que aflige todo o mundo não permite uma previsão clara do seu alcance e da sua duração. O segmento cultural vem sendo atingido de maneira paralisante: raras produções culturais poderão sobreviver neste quadro de absoluta retração do mercado de patrocinadores. O setor já apresenta um panorama de demissões, de fuga e busca de novos ramos e atividades, situação que determinará asfixia sem precedentes na produção e oferta de produtos culturais.

Até o momento, nenhuma medida governamental voltada para o setor cultural foi tomada para minimizar os efeitos drásticos dessa crise. Diante disso, é imprescindível a união da classe cultural mineira, que já vem se mobilizando para propor medidas efetivas para enfrentar essa situação.

Convocamos todo o setor cultural - artistas, produtores, técnicos, pesquisadores, grupos, associações e entidades culturais – para mais um encontro, com a seguinte pauta:

a) Definir medidas efetivas para enfrentar a crise;

b) Indicação de uma comissão que representará este fórum e atuará diretamente nas instâncias federal, estadual e municipal;

c) Programar eventos/manifestações na cidade;

d) Complementação da composição de grupos de estudo da nova Lei Rouanet e de Mobilização.

Fonte: www.forumcultural.blog.br

II CONAPIR - Negros são convidados a participar

Negros e Negras são convidados a participarem da reuniao de construção e mobilização da II CONAPIR

A 2ª Reunião acontece no dia 27 de março

No dia 27 de março será realizada a 2ª reunião para a construção e da nossa participação na II Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (II CONAPIR), que será antecedida por 03 Conferências Regionais e da Estadual, de onde serão eleitos os (as) delegados (as) para a Conferência Nacional. A reunião será realizada na Vila das Artes – mini auditório da escola de audivisual, localizada na Rua 24 de maio, 1221 – Centro, a partir das 18 horas.

Na primeira reunião, realizada no dia 24/03/2009, fizemos uma discussão aprofundada do Regimento da II CONAPIR, surgindo a partir daquele momento a necessidade de aprofundamento do Temário da Conferência: “Os avanços, os desafios e as perspectivas da Política Nacional de Promoção da Igualdade Racial”, bem como da nossa organização.

Durante esta reunião faremos uma agenda de atividades de aprofundamento do Temário.

Sobre a II CONAPIR?

Desde a realização da I CONAPIR, em 2005, a II CONAPIR será uma oportunidade ímpar para fortalecer o diálogo e a cooperação entre órgãos e entidades governamentais e não governamentais de promoção da igualdade racial, no qual deverão ser apontados possíveis ajustes nas políticas de igualdade ora em curso, e fortalecidas as relações das mesmas com as políticas sociais e econômicas em vigor.

Reunião de construção e de mobilização da II CONAPIR
Dia 27 de março (sexta-feira), às 18 horas.
Na Vila das Artes (Rua 24 de maio, 1221 – Centro)
COPPIR Fortaleza

quinta-feira, 26 de março de 2009

Samba de Luiz na Rede Minas


Sexta-feira (27/03) ao meio-dia, estaremos participando do Jornal Minas 1a. Edição, que vai ao ar pela Rede Minas, falando um pouco da nossa história, das conquistas, dos planos para o nosso próximo CD e, claro, tocando muito sambaião.

Se você mora na região da Grande BH e estiver de bobeira não deixe de conferir. Para obter maiores informações de cobertura e programação da Rede Minas, clique aqui.

TV ABERTA - Canal 09 - Rede Minas
TV A CABO - Canal 20 - Rede Minas

Samba de Luiz
www.sambadeluiz.com.br
contato@sambadeluiz.com.br
55 (31) 84545783 ou 91427995

Siga o Samba de Luiz no Twitter:
www.twitter.com/sambadeluiz

Plano Decenal Educação MG - Montes Claros

Debate Plano Decenal Educação MG - Montes Claros, 31/03, Centro Cultural Dr. Hermes de Paula

Montes Claros receberá encontro sobre Plano Decenal de Educação

O segundo encontro regional do Fórum Técnico Plano Decenal de Educação em Minas Gerais: Desafios da Política Estadual será no próximo dia 31 de março, em Montes Claros, Norte do Estado. O Fórum está sendo realizado pela Assembléia Legislativa de Minas Gerais, em parceria com o governo estadual e entidades e movimentos sociais ligados à educação. Os participantes de Montes Claros terão a chance de apresentar sugestões e debater o Projeto de Lei 2.215/08, que estabelece o Plano Decenal de Educação, com objetivos, metas e ações para a política educacional do Estado nos próximos dez anos.

O evento, no Centro Cultural Dr. Hermes de Paula (Praça Dr. João Chaves, 32, Centro), começará às 8 horas, com o credenciamento (não é necessário fazer inscrição prévia). Às 8h30, acontecerá a abertura, que deverá contar com a presença do presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP); do prefeito municipal de Montes Claros, Luiz Tadeu Leite; do presidente da Câmara Municipal de Montes Claros, Athos Mameluque Mota; da superintendente regional de Ensino de Montes Claros, Maria Salete de Souza Nether; da representante do Conselho Municipal de Educação de Montes Claros, Geralda Aquino de Oliveira; além de representantes dos professores, dos estudantes e dos pais.

Às 9h30, tem início as palestras e quatro convidados irão falar sobre o Plano Decenal de Educação. São eles: o coordenador do Plano Decenal de Educação e representante da Secretaria de Estado da Educação (SEE), Luís Aureliano Gama de Andrade; a representante da Comissão Organizadora do Plano Decenal de Educação e da SEE, Maria de Lourdes Melo Prais; o reitor da Universidade Estadual de Montes Claros, Paulo César Gonçalves de Almeida; e o presidente do Sindicato dos Professores de Minas Gerais, Gilson Luis Reis.

Os quatro grupos de trabalho iniciarão as suas atividades às 10h30, discutindo, cada um, temas das 11 áreas do Plano Decenal, assim distribuídos: Grupo 1: "Educação infantil/ensino fundamental/ ensino médio"; Grupo 2: "Ensino Superior/Educaçã o Tecnológica e Formação Profissional e Valorização dos Profissionais de Educação"; Grupo 3: "Educação Especial/Educaçã o de Jovens e Adultos/Educaçã o Indígena, Educação do Campo e Quilombola" e Grupo 4: "Financiamento e Gestão/Diálogo entre as Redes de Ensino e sua Interação".

No encontro de Governador Valadares, os participantes, reunidos nos grupos de trabalho, poderão apresentar até dez propostas de modificação para cada um dos onze temas do Plano Decenal de Educação, que serão posteriormente discutidas na etapa final do fórum técnico, que acontece no Plenário da ALMG, em Belo Horizonte, entre os dias 13 e 15 de maio. Também serão eleitos 12 representantes da região para participar da etapa final do fórum técnico.Às 15 horas, será realizada a plenária final, com apresentação do relatório dos grupos de trabalho e eleição dos 12 representantes da região para a etapa final do Fórum.

Entenda o Projeto - O PL 2.215/08 está tramitando na ALMG e será transformado na lei que vai estabelecer a política educacional do Estado para os próximos dez anos. O projeto atende à Lei Federal 10.172, de 2001, que determina aos estados, Distrito Federal e municípios a elaboração de planos decenais de educação, com base no Plano Nacional de Educação. Em Minas, a proposta abrange onze áreas, cada uma delas com objetivos, metas e ações estratégicas definidas.

O Plano Decenal de Educação de Minas Gerais está estruturado nas seguintes áreas: educação infantil; educação fundamental; ensino médio; educação superior; educação de jovens e adultos; educação especial; educação tecnológica e formação profissional; educação indígena, educação do campo e quilombolas; formação e valorização dos profissionais da educação; financiamento e gestão; e diálogos entre as redes de ensino e sua interação.

Uma das metas que se repete em todos os temas é a que visa à melhoria do desempenho dos alunos, a fim de que a universalizaçã o da oferta seja acompanhada da qualidade do ensino. A implementação das metas dependerá ainda de disponibilidade orçamentária e financeira. Para a maioria dos níveis de educação, o governo planeja definir, em dois anos, os padrões de atendimento da educação, abrangendo os aspectos relacionados à infra-estrutura física, ao mobiliário e equipamento, aos recursos didáticos, ao número de alunos por turma, à gestão escolar e aos recursos humanos indispensáveis à oferta de uma educação de qualidade.

Outra ação estratégica prevê, também em dois anos, a definição das habilidades e competências a serem adquiridas pelos alunos, bem como as metas a serem alcançadas pelos professores, a cada ano escolar, de modo a garantir o progresso dos alunos. Há também a previsão de um sistema de premiação para os professores em função dos bons resultados.

Fórum técnico - O Fórum Técnico Plano Decenal de Educação em Minas Gerais: Desafios da Política Estadual está sendo realizado pela Assembleia em parceira com o governo estadual e com mais de 20 entidades ligadas à educação, envolvendo governo estadual, a Secretaria de Estado de Educação, gestores municipais, estudantes, professores, pais, conselhos de educação, representantes da educação indígena, quilombola e do campo, entre outros.

A Assembleia, juntamente com o governo estadual e com entidades e movimentos sociais, está ainda realizando encontros em Araçuaí (25/3), Governador Valadares (3/4) e Paracatu (7/4). As entidades e movimentos sociais que apoiam o Parlamento na realização do evento coordenarão encontros também em Divinópolis (15/4), Juiz de Fora (17/4), Varginha (22/4) e Uberlândia (24/4).

Além da possibilidade de participação nos encontros do interior e na etapa final em Belo Horizonte, a população também poderá enviar suas sugestões de modificação do Plano Decenal de Educação pela internet, até o dia 12 de abril, através da Consulta Pública que a ALMG está promovendo. Para participar da Consulta Pública é necessário acessar a página principal da Assembleia na internet (www.almg.gov.br) e clicar no banner Consulta Pública - Plano Decenal de Educação.

Responsável pela informação:
Assessoria de Comunicação
www.almg.gov.br
Rua Rodrigues Caldas,30
Bairro Santo Agostinho
CEP 30190 921
Belo Horizonte - MG - Brasil
Telefone (31) 2108 7715

MOVIMENTO DOS SEM UNIVERSIDADE - MG
Blog: http://www.msu-minas.blogspot.com/
E-mail: msuminas@gmail.com
Endereço: Av. Andradas 1º Andar Sala 268,Centro, Belo Horizonte-MG
Horário: 19h às 22h
Telefones: 9745-2996 / 8827-2961 / 8896-6638

MSU procura Educadores

MSU procura Educadores

Química, Física, Matemática, Portugês. Literatura, Inglês/Espanhol, História e Geografia

Para lecionar 1 vez por semana nos seguintes bairros/ nucleos de cursinho popular:
Jaqueline: Matemática, Quimíca, Português, Literatura, Geografia e História
Centro-BH: Química, Literatura, Inglês/Espanhol
Alto Vera Cruz: Física
Confisco: Inglês/Espanhol

Oferecemos declaração de horas para estágio e/ou experiência profissinal, e auxílio para as passagens.

Interessados/das devem enviar currículo para msuminas@gmail.com e ligarem para os seguintes contatos:
Confisco: 8631-9767, 3476-0578
Jaqueline: 8725-6888, 3454-7005
Centro-BH: 8719-4960, 9711-3401
Alto Vera Cruz: 8615-7058, 9779-7611

MOVIMENTO DOS SEM UNIVERSIDADE - MG
Blog: www.msu-minas.blogspot.com
E-mail: msuminas@gmail.com
Endereço: Av. Andradas 1º Andar Sala 268,Centro, Belo Horizonte-MG
Horário: 19h às 22h
Telefones: 9745-2996 / 8827-2961 / 8896-6638

Circular 01 no Domingão do Faustão



Clique na imagem

Fórum de Economia Solidária

Fórum de Economia Solidária


Clique na imagem para mais informações.

Assembléia Popular Estadual de Educação - Convite

Assembléia Popular Estadual de Educação
Tema: “Por um Projeto Popular para a Educação”
Local: Centro Cultural da UFMG
Av.Santos Dumont 174, Praça Estação, BH
Data: 28 de Março de 2009

Programação

8:00 - Mística e saudação aos movimentos.
8:30 - Assembléia Popular, Mutirão Por um Novo Brasil

Palestrante: Bernadete (AP Estadual)

9:00 - Educação e transformação social.

Palestrante: Justino (Prof. da UFMG)

9:30 - Contexto histórico da Educação.

Palestrante: Ramuth (Fórum Mineiro EJA)

10:00 - Café
10:15 - Grupo de discussão
11:15 - Repasses dos grupos
12:00 - Almoço
13:30 - Conjuntura política e educacional

Palestrante: Rudá Ricci (Instituto Cultiva)

14:15 - Grupo de discussão
15:15 - Intervalo
15:30 - Repasses dos grupos
16:00 - Agenda e encaminhamentos das lutas

OBS: É necessário levar R$ 5,00 para alimentação, bem como prato e talheres.

Maiores Informações
Contatos: 9745-2996, 8624-3226 e 9846-8641,
E-mail: msuminas@gmail.com

Organizações: Assembléia Popular, MSU, Gespalp Pré-Vestibular Popular, DCE-UFMG, Consulta Popular, AMES-BH, Brigadas Populares, DA Biologia/ Puc Betim, UJC, Cemec/ Maristas

Apoio: Rede Educação Cidadã – Talher de Minas Gerais

Cáritas Brasileira - Regional MG

Livro - Direitos Humanos, Democracia e República

Direitos Humanos, Democracia e República

Livro será lançado em homenagem a Fábio Konder Comparato


Clique na imagem

quarta-feira, 25 de março de 2009

Livro relata experiência de Programa Educacional na Argentina e no Brasil

Livro relata experiência de Programa Educacional na Argentina e no Brasil

“Escolas que crescem. A experiência do Programa Minha Escola Cresce na Argentina e Brasil” (“Las escuelas que crecen. La experiencia del Programa Mi Escuela Crece en la Argentina y Brasil”)

Este é o título do livro que será lançado, até o final de março de 2009, em edição da Editora Komedi, relatando a trajetória do Programa Minha Escola Cresce, em suas nove edições na Argentina (1996-2004) e nas primeiras cinco edições no Brasil (2004-2008). O Programa foi implementado na Argentina pela Fundación Arcor e vem sendo desenvolvido no Brasil, chegando à Sexta Edição em 2009, pelo Instituto Arcor Brasil.

Durante nove anos, portanto, o Programa Minha Escola Cresce foi levado a todas as 23 províncias argentinas, com o apoio a 188 projetos. Os projetos eram escolhidos pelas próprias escolas, em função de suas demandas e realidade específica. Esse mesmo foco, de protagonismo da escola e sobretudo dos seus alunos, passou a ser observado pelo Programa Minha Escola Cresce no Brasil, a partir de 2004, ano de fundação do Instituto Arcor Brasil.
Em 2008 foi desenvolvida a 5a Edição do Programa Minha Escola Cresce no Brasil. Como aconteceu na Argentina, em relação à Fundação Arcor, o Minha Escola Cresce, em seus cinco anos, foi fundamental para sedimentar as bases de atuação do Instituto Arcor Brasil.
Nesse período foram apoiados 98 projetos de escolas de 14 municípios, dos estados de São Paulo e Minas Gerais, abrangendo regiões onde estão instaladas as quatro primeiras unidades industriais da Arcor no Brasil – a quinta planta foi inaugurada em 2007 na Região Metropolitana de Recife (PE). A partir de 2009, com a Sexta Edição, o Programa Minha Escola Cresce chega à Região Nordeste do Brasil, inicialmente com dois projetos apoiados no município de Ipojuca (PE).
Com a mesma metodologia seguida na Argentina, mas com as variações naturais de outra realidade cultural e política, o Programa Minha Escola Cresce tem contribuído para o necessário desenho de uma nova cartografia da Educação no Brasil, um novo olhar sobre a escola como espaço de encantamento, de descobertas e criação de redes. Uma mescla de emoções e sentimentos, de sensibilidade e refinamento de capacidades.. Um tributo ao educador e a reafirmação da crença no protagonismo juvenil.

“Em parceria com a comunidade, com organizações empresariais e não-governamentais que confiam no potencial realizador da Educação, a escola pública pode resgatar o seu papel estratégico na construção de países digno de seus povos, de sua cultura, de sua história e de seus recursos naturais”, afirma o texto do livro, assinado pelo jornalista José Pedro Soares Martins.

Como salienta o autor na introdução, o livro é, assim, “uma tentativa de colher as pedras preciosas que o Programa extraiu em sua rápida e intensa história, iniciada na Argentina e que prossegue, com êxito, no Brasil. Uma amostra de que a efetiva integração regional, a integração na base da sociedade, passa necessariamente pela educação, rumo a uma América Latina mais próspera, de desenvolvimento humano pleno e sustentável”. O jornalista José Pedro Martins é autor de vários livros nas áreas social, ambiental e de história, tendo sido finalista em 2008 e recebido em 2003 o Prêmio Ethos de Jornalismo, do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social.

Mais informações:
Instituto Arcor Brasil
José Pedro Soares Martins
Consultor de Comunicação
(19) 8206.1867 –
imprensa@institutoarcor.org.br
http://www.institutoarcor.org.br/

Vinicius Matos - Curso de Fotografia de Casamento

Vinícius Matos recebe 14 fotógrafos brasileiros para curso de fotografia de casamento em BH

Finalizando os preparativos para o Wedding Brasil 2009, mais importante congresso brasileiro de fotografia de casamento, em São Paulo , onde fará a palestra de abertura no dia 7 de abril, o fotógrafo de casamentos Vinícius Matos está em Belo Horizonte (MG) esta semana para um compromisso muito especial..

Uma vez por mês, na Escola de Imagem, escola de fotografia dirigida por ele na capital mineira, ele recebe um grupo de fotógrafos profissionais de várias partes do Brasil para dois cursos de aperfeiçoamento sobre fotografia de casamento.

Nos dois módulos, Vinícius compartilha suas experiências e técnicas utilizadas na confecção dos books externos originais e também no aprimoramento de marketing, vendas e edição do trabalho. As aulas intercalam teoria com prática, simulando um book externo da noiva.

A turma do curso de março é formada por 14 fotógrafos que vieram de Manaus, Maringá, Rio de Janeiro, Foz do Iguaçu, Aracajú e do interior de Minas Gerais para aprimorar seu trabalho com o objetivo de aumentar o lucro de seus negócios.

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Rachel Wardi
(31) 3225-1116 / 3221-9241 / 8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br

Rachel Wardi Lopez
Ampla Soluções em Comunicação
Rua Juiz da Costa Val, 157 / sala 13 - Santa Efigênia
(31) 3221-9241 - (31) 3225-1116 - (31) 8854-2425
rachel@amplacomunicacao.com.br

Instituto Cultural Aletria - Oficina - Leitura em voz alta

"Leitura em Voz Alta" - Temas de Oficina promovida pelo Instituto Cultural Aletria

Havia um homem que sonhava em ler os livros que possuía de olhos fechados. Parece absurdo? Fantástico? É algo mais comum do que se pode imaginar. Ler um texto para uma outra pessoa é uma necessidade que surge constantemente na vida de todos e pelas mais diversas razões. Pensando nisso, o Instituto Cultural Aletria (Rua Fernandes Tourinho, 470, sala 604, Savassi) abre inscrições para a oficina “Leitura em voz alta”, que será realizada às quartas-feiras, do dia 1º de abril ao dia 6 de maio, a partir das 8h30.


A oficina será ministrada pelas contadoras de histórias, Beatriz Myrrha e Sandra Bittencourt, que unem forças para preparar os alunos para o prazer da leitura em voz alta, despertando o leitor em cada um. A programação inclui estratégias, práticas e vivências pedagógicas de aproximação e utilização do objeto livro como recurso na arte da leitura em voz alta; exercícios, dinâmicas e técnicas de voz, ritmo, inflexão, postura corporal e respiração adequadas à preparação do leitor que se dedica a contar histórias em voz alta; alternativas de repertório, preâmbulos e finalizações e preparação de diferentes ambientes para a leitura em voz alta; interdisciplinaridade e o diálogo das diversas linguagens literárias e populares além do uso de textos poéticos, música, cinema, recursos sonoros e visuais: a ampliação do campo da leitura e os diferentes espaços para a leitura em voz alta.

Beatriz Myrrha é arte-educadora, professora em escolas infantis há 20 anos, especialista em técnica vocal, yogaterapeuta e atua como contadora de histórias desde 1990. É professora de Musicalização Infantil da REDIN - Rede pela Educação Infantil de Belo Horizonte. É graduada em Música pela UEMG e atriz pela Fundação Clóvis Salgado - Palácio das Artes e possui formação em canto pela UFMG e Fundação Clóvis Salgado.

Sandra Bittencourt é contadora de histórias, pedagoga, atriz, especialista em Ensino Especial , Arte-Educação e Literatura Infantil e Juvenil. Foi coordenadora do Centro de Aperfeiçoamento Pedagógico Permanente (Cemap) em Ituiutaba (MG) e Secretária Municipal de Cultura de São Roque de Minas (MG). Desenvolveu trabalhos de consultoria e assessoria para editoras, além de curadoria, como no 9º Encontro das Literaturas de Belo Horizonte, em 2008.

O Instituto Cultural Aletria é uma Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Contadores de Histórias, Produtora Cultural e também Editora. Promove cursos, seminários e outros eventos culturais e literários nas áreas de narração de histórias, oratória, capacitação de educadores, projetos específicos para empresas e produção de textos. Tem como principal objetivo preservar a arte de contar histórias, principalmente propagando a tradição oral no Brasil.

AGENDA: Oficina “Leitura em voz alta”
Período: 1º de abril a 6 de maio de 2009 (quartas-feiras) // Horário: 8h30 às 11h
Local: Rua São Domingos do Prata, 697 - Santo Antônio – Belo Horizonte - MG
Informações: (31) 3296-7903 ou
www.aletria.com.br
Investimento: R$ 150,00 (inclui lanche, pasta, apostila e certificado)
Duração do encontro: 18 horas/aula (6 encontros) – Máximo de 20 alunos
Inscrições até o dia 31 de março (pelo telefone ou pelo e-mail
aletria@aletria.com.br)

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Rachel Wardi
(31) 3225-1116/3221-9241/8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br
www.amplacomunicacao.com.br

Rachel Wardi Lopez
Ampla Soluções em Comunicação
Rua Juiz da Costa Val, 157 / sala 13 - Santa Efigênia
(31) 3221-9241 - (31) 3225-1116 - (31) 8854-2425
rachel@amplacomunicacao.com.br

Curso de Ecologia Profunda

Curso de Ecologia Profunda

O objetivo do Curso de Ecologia Profunda é o enriquecimento cultural, desenvolvimento da mente e o despertar da consciência ecológica nos participantes.

O curso é dedicado a todas as pessoas que buscam o autoconhecimento, ou seja, a compreensão da ecologia interior e exterior, fornecendo uma visão ampla da Vida.

Os conteúdos são estudados dentro de uma perspectiva transdisciplinar, integrando ciência, cultura, religião, arte, política, ecologia e vida interior.

Os temas tratados são:

- Filosofia: consciência, metafísica, sentido da vida;
- Ética, Política e Direito: moral, bioética, ecoética, exercício de cidadania, governo de si, dinheiro e poder, liderança, espiritualidade e política;
- Psicologia: história, parapsicologia, neurolinguística, psicologia junguiana (alquimia, simbolismo, sonhos), psicologia transpessoal;
- Física Contemporânea: ciência e religiosidade, física quântica;
- Antropologia: cosmogênese, antropogênese, cultura indígena, xamanismo, mitologia, civilizações antigas, sociedades secretas, iniciação, ascensão;
- Religiões: Cristianismo, Judaísmo, Islamismo, Zoroastrismo, Hinduísmo, Bramanismo, Taoísmo, Budismo, Zen, Espiritismo, Confucionismo, Xintoísmo, Sufismo, Baha’i;
- Sociologia: civilização futura, movimentos filosóficos;
- Agroecologia e Saúde: Agricultura e Meio Ambiente (percepção ambiental, ecologia profunda, agrofloresta, agricultura orgânica, biodinâmica, permacultura); Saúde Integral (sistemas tradicionais de cura, fitoterapia, homeopatia, medicina antroposófica, tipos de alimentação);
- Yoga; Tai-chi-chuan;
- Desenvolvimento Artístico.

Informações e Inscrição:

1. O curso é exclusivamente via internet, com envio mensal de textos e apostilas e criação de grupo para troca entre os participantes. A duração aproximada do curso é de 16 meses consecutivos.

2. Emitimos certificado para os interessados, desde que estejam em dia com as tarefas que serão solicitadas e com as contribuições, que são de R$10,00 mensais no mínimo. Ao término do curso será verificado o valor de confecção do certificado com entrega via correio e assim que for feita a contribuição, enviaremos o diploma.

3. Os recursos arrecadados são destinados à manutenção dos trabalhos e construção de Núcleos de Atividade Criativa cultural e ecológica em locais campestres reservados.

4. Para se inscrever, é necessário o preenchimento e envio dos dados abaixo para aipemg@gmail.com Quando tivermos no mínimo 100 pessoas inscritas, enviaremos as informações para depósito da primeira contribuição.

---------

Curso de Ecologia Profunda - CCEE - Inscrição

Nome Completo:
Data de Nascimento:
Endereço:
Bairro:
Cidade:
Estado:
País:
Endereço Eletrônico:
Telefone:
Escolaridade:
Área de atuação:
Como ficou sabendo do curso?
Qual a sua expectativa com relação ao Curso de Ecologia Profunda?

----------

Tatiana Regina Sandy Reis
Cirurgiã-Dentista / Clínica Geral,
Terapia Neural e Odontologia Neurofocal
Relaxamento Terapêutico/ Recondicionamento mental
Especialista em Agricultura Orgânica/ Biodinâmica
Coordenadora do Curso de Ciências Eco-Espirituais
aipemg@gmail.com
Tel: (35) 9172-7986

Aula Magna Dom Helder - Prof. Luís Roberto Barroso

Aula Magna Dom Helder - Prof. Luís Roberto Barroso


O professor Luís Roberto Barroso fará a conferência inaugural das atividades acadêmicas da Escola Superior Dom Helder Câmara, no ano do Centenário de Dom Helder. Luís Roberto é Professor Titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, cátedra de Direito Público. Mestre e doutor em Direito pela UERJ, Prof. Luís Roberto é autor de 13 livros em Direito Constitucional, muitos deles adotados como bilbiografia básica do nosso Curso de Direito, e mais de 70 artigos jurídicos. O tema da aula magna é "Interpretação Constitucional e Ativismo Judicial".

Dia 25 de março de 2009 - Quarta-feira

19h15min

Auditório do Espaço Loyola da Escola Superior Dom Helder Câmara

O evento contará 04 (quatro) horas de atividade complementar para estudantes de Direito - Graduação, da Escola Superior Dom Helder Câmara, e 02 (dois) pontos, relativamente às avaliações múltiplas, nas Disciplinas previstas para quarta-feira, turno da noite e manhã, do dia 25.

A Aula Magna é dedicada, especialmente, aos estudantes calouros. Assim, os mesmos poderão convidar seus pais, familiares e amigos. Esta é uma boa ocasião para conhecimento e visita à Instituição.

É Urgente Rever Os Fundamentos - Leonardo Boff

É Urgente Rever Os Fundamentos
Leonardo Boff - Teólogo
março de 2009

A conjugação das várias crises, algumas conjunturais e outras sistêmicas, obriga a todos a trabalhar em duas frentes: uma intrasistêmica buscando soluções imediatas dos problemas para salvar vidas, garantir o trabalho e a produção e evitar o colapso. Outra transsistêmica, fazendo uma crítica rigorosa aos fundamentos teóricos que nos levaram ao atual caos e trabalhar sobre outros fundamentos que propiciem uma alternativa que permita, num outro nivel, a continuidade do projeto planetário humano.
Cada época histórica precisa de um mito que congregue pessoas, galvanize forças e confira novo rumo à história. O mito fundador da modernidade reside na razão, desde os gregos, o eixo estruturador da sociedade. Ela cria a ciência, transforma-a em técnica de intervenção na natureza e se propõe dominar todas as suas forças. Para isso, segundo Francis Bacon, o fundador de método científico, deve-se torturar a natureza até que entregue todos os seus segredos.
Essa razão crê num progresso ilimitado e cria uma sociedade que se quer autônoma, de ordem e progresso. A razão suscitava a pretensão de tudo prever, tudo gerir, tudo controlar, tudo organizar e tudo criar. Ela ocupou todos os espaços. Enviou ao limbo outras formas de conhecimento.
Eis que, depois de mais de trezentos anos de exaltação da razão, assistimos a loucura da razão. Pois só uma razão enlouquecida organiza a sociedade na qual 20% da população mundial detém 80% de toda riqueza da Terra; as três pessoas mais ricas do mundo possuem ativos superiores à toda riqueza de 48 paises mais pobres onde vivem 600 milhões de pessoas; 257 indivíduos sozinhos acumulam mais riqueza do que 2,8 bilhões de pessoas, o equivalente a 45% da humanidade; no Brasil 5 mil famílias detém 46% da riqueza nacional.
A insanidade da razão produtivista e consumista gerou o aquecimento global que trará desiquilíbrios já visíveis e a dizimação de milhares de espécies, inclusive a humana. A ditadura da razão criou a sociedade da mercadoria com sua cultura típica, um certo modo de viver, de produzir, de consumir, de fazer ciência, de educar, de ensinar e de moldar as subjetividades coletivas.
Estas devem se afinar à sua dinâmica e valores, procurando sempre maximalizar os ganhos, mediante a mercantilização de tudo. Ora, essa cultura, dita moderna, capitalista, burguesa, ocidental e hoje globalizada entrou em crise. Ela se expressa nas várias crises atuais que são todas expressão de uma única crise, a dos fundamentos. Não se trata de abdicar da razão, mas de combater sua arrogância (hybris) e de criticar seu estreitamento na capacidade de comprender.
O que a razão mais precisa neste momento é de ser urgentemente completada pela razão sensível (M.Maffesoli), pela inteligência emocional (D.Goleman), pela razão cordial (A. Cortina), pela educação dos sentidos (J.F.Duarte Jr), pela ciência com consciência (E. Morin), pela inteligência espiritual (D. Zohar), pelo concern (R.Winnicott) e pelo cuidado como eu mesmo venho propondo há tempos.
É o sentir profundo (pathos) que nos faz escutar o grito da Terra e o clamor canino de milhões de famélicos. Não é a razão fria mas a razão sensível que move as pessoas para tira-las da cruz e faze-las viver. Por isso, é urgente submeter à crítica o modelo de ciência dominante, impugnar radicalmente as aplicações que se fazem dela mais em função do lucro do que da vida, desmascarar o modelo de desenvolvimento atual que é insustentável por ser altamente depredador e injusto.
A sensibilidade, a cordialidade, o cuidado levados a todo os níveis, para com a natureza, nas relações sociais e na vida cotidiana, podem fundar, junto com a razão, uma utopia que podemos tocar com as mãos porque imediatamente praticável. Estes são os fundamentos do nascente paradigma civilizatório que nos dá vida e esperança.

I Intercâmbio em Consultoria

I Intercâmbio em Consultoria
Convite



Clique na imagem

Maioria dos senadores é favorável às cotas

Maioria dos senadores é favorável às cotas

Balanço das opiniões dos parlamentares que se pronunciaram após audiência pública da semana passada mostra tendência à aprovação da matéria

O PLC 180/2008 que cria reserva de 50% das vagas em instituições técnicas de ensino e universidades públicas federais para alunos que freqüentaram escolas públicas pode ser votado nesta quarta-feira, 25/03, após a terceira audiência pública realizada pela CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado para discutir o assunto. No debate da semana passada, em 18/03, cinco senadores disseram que aprovam o projeto, um ficou indeciso e dois se posicionaram contra.

Dos 31 parlamentares que registraram presença na Comissão, apenas oito assistiram toda a audiência e manifestaram seus pontos de vista. Ideli Salvatti (PT-SC), Marcelo Crivella (PRB-RJ), Lobão Filho (PMDB-MA), Inácio Arruda (PCdoB-CE) e Serys Slhessarenko (PT-MT) defenderam o projeto, Wellington Salgado (PMDB-MG) e Demóstenes Torres (DEM-GO) foram contrários à matéria e Eduardo Suplicy (PT-SP) não definiu sua posição.

No entanto o projeto pode não ser votado caso Torres, que é presidente da CCJ, não coloque o assunto em pauta. “Como presidente, cabe ao senador Demóstenes levar o tema para apreciação. Acreditamos que após três audiências públicas os parlamentares já reúnam condições para deliberar, prorrogar a decisão é o pior cenário”, avalia Daniel Cara , coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, um dos expositores na audiência da semana passada.

O desejo dos parlamentares que apóiam o PLC 180/2008 é que o projeto seja aprovado sem alterações, evitando, assim, que volte para a Câmara dos Deputados. A preocupação é atrasar ainda mais a tramitação da matéria, que já dura dez anos. A possibilidade de análise nessa quarta-feira sequer existiria se a senadora Ideli Salvatti não tivesse insistido junto a Torres para que a votação aconteça após a audiência pública. Porém, o presidente alegou que a agenda da CCJ já esta lotada e teria que verificar a possibilidade. Informações de bastidores já indicam que a definição deve ficar para 1º de abril.

Quem fala na próxima audiência – O debate dessa quarta-feira contará com as presenças do ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, do presidente da Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas), Ismael Cardoso, do ex-presidente do IBGE, Simon Schwartzman, do reitor da Universidade Federal de Pernambuco, Amaro Lins, e do professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, José Roberto Pinto.

O que os senadores falaram na audiência passada– Saiba o que o seu senador disse na audiência após ouvir argumentos favoráveis e contrários ao projeto e mande sua opinião para eles:

Ideli Salvatti (PT-SC)
Favorável à aprovação do projeto. Vê como fundamentais as cotas sociais e raciais e insistiu para que a matéria seja votada na quarta-feira, dia 25/03.
Tel.: (61) 3303-2171/2172.
E-mail:
ideli.salvatti@senadora.gov.br

Wellington Salgado (PMDB-MG)
Contrário às cotas para negros e índios. Disse que só vota favoravelmente ao PLC se o dispositivo for retirado. Citou personalidades como o ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, como exemplos de negros que obtiveram sucesso educacional e profissional.
Tel.: (61) 3303-2244/2245.
E-mail:
wellington.salgado@senador.gov.br

Marcelo Crivella (PRB-RJ)
Favorável ao projeto. Rebateu as observações de Salgado afirmando que o Brasil deveria ter vários negros em destaque e não exceções que são sempre citadas nesse tipo de debate.
Tel.: (61) 3303-5225/5730.
E-mail:
crivella@senador.gov.br

Lobão Filho (PMDB-MA)
Manifestou-se favorável ao projeto.
Tel.: (61) 3303-2311/2314.
E-mail:
lobaofilho@senador.gov.br

Demóstenes Torres (DEM-GO)
Contrário às cotas para negros e índios. Torres se considera um homem pardo e discorda da classificação de raça adotada pelo IBGE.
Tel.: (61) 3303-2091/2099.
E-mail:
demostenes.torres@senador.gov.br

Eduardo Suplicy (PT-SP)
Não deixou clara a sua posição, porém, acredita que a determinação do prazo de dez anos para reavaliar a instituição das cotas, prevista no projeto, é fundamental. Tel.:
(61) 3303-3213/2817.
E-mail:
eduardo.suplicy@senador.gov.br

Inácio Arruda (PCdoB-CE)
Favorável ao projeto. Vê as ações afirmativas como necessidade para vencer a discriminação.
Tel.: (61)3303-5791/5793.
E-mail:
inacioarruda@senador.gov.br

Serys Slhessarenko (PT-MT)
Favorável ao projeto. É a relatora do PLC 180/2008 na CCJ.
Tel.: (61) 3303-2291/2292.
E-mail :
serys@senadora.gov.br

Espaço Mary Camargos - Festa Temática

Espaço Mary Camargos promove festa temática para apresentar publicação inédita na capital mineira (30/3)

Na entrada, os convidados serão surpreendidos por belas recepcionistas trajando coloridos sáris, trajes típicos do país; maquiadas conforme a tradição hindu e ricamente adornada por muitas pulseiras, colares e anéis, como é costume entre as mulheres indianas.

Estas, e outras características marcantes da Índia, inspiraram a decoradora Mary Camargos, que escolheu o país como tema da festa de pré-lançamento da Revista Mary Camargos Casa & Estilo, que será realizada na próxima segunda-feira, 30 de março, às 19h, no Espaço Mary Camargos (Rua Castelo de Setúbal, 798 – Castelo), em Belo Horizonte.

A primeira edição da Revista Mary Camargos Casa & Estilo terá como matéria de capa a Índia, mostrando como o país influencia o mundo, ao longo da história, nos mais diversos segmentos, incluindo arquitetura e decoração. “A Índia está na moda e queremos lançar olhares sobre o país que ainda não foram explorados”, destaca Mary.

A culinária, a música, a ambientação e outras surpresas do evento também serão temáticas. A decoradora terá como convidados especiais o Cônsul Honorário da Índia em Minas Gerais, Élson de Barros Gomes Júnior, e o Presidente da Câmara de Comércio Índia-Brasil, Leonardo Ananda.

O Espaço Mary Camargos, que reúne showroom e loja de decoração, arquitetura e paisagismo e um espaço multiuso para eventos, inaugurado em dezembro, lançará em abril sua publicação com o objetivo de divulgar projetos especiais, estabelecer novas parcerias e apresentar novidades do segmento de atuação.

“Queremos ampliar o diálogo com o público sobre assuntos de interesse no mundo contemporâneo, principalmente os voltados para os segmentos de casa e estilo”, explica Mary Camargos, coordenadora da publicação e proprietária o espaço. Nas editorias da revista estão: Entrevista, Comportamento, Decoração de Interiores, Coluna de Esportes, Gastronomia, Moda, Coluna Social, Etiqueta, Personal Stylist, entre outras.

O Espaço Mary Camargos está localizado na Rua Castelo de Setúbal, 798 – bairro Castelo, em Belo Horizonte (MG). Informações e agenda para atendimento personalizado (31) 3504-2000.

Clique na imagem

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação Ltda:
Liège Camargos e Marianna Moreira
(31) 3225-1116 / 3221-9241 / 8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br

Fundo canadense recebe projetos até 30 de abril

Fundo canadense recebe projetos até 30 de abril

O Fundo Canadá, linha de financiamento de projetos comunitários da Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional, informa que receberá projetos até o próximo dia 30 de abril 2009 para concorrer no primeiro processo seletivo de projetos para o período 2009/2010.

O Fundo Canadá apóia projetos voltados diretamente para o fortalecimento da cidadania de crianças e adolescentes, direitos humanos (prioritariamente mulheres e crianças), saúde, educação, governança e desenvolvimento democrático (neste caso, quando são estritamente comunitários).

O Fundo não financia projetos de instituições governamentais, salários e despesas administrativas. Podem ser atendidos projetos de todo o país, mas a prioridade é para projetos provenientes das regiões Norte e Nordeste e da periferia das grandes cidades.

Somente são analisados os projetos elaborados segundo o Guia de Apoio à Elaboração de Projetos, apresentando todas as informações e documentos solicitados, e três orçamentos de cada item solicitado. O Guia de Apoio à Elaboração de Projetos deverá ser solicitado pelo e-mail
fundocanada@gmail.com

Os projetos recebidos fora desta data, caso estejam dentro do foco e completos, serão classificados e poderão participar dos demais processos seletivos ao longo do ano.

Informações
(61) 3253 7958
fundocanada@gmail.com

Fonte: Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional
Assessoria de Comunicação
(61) 3411.3349 / 2747

www.presidencia.gov.br/consea
ascom@consea.planalto.gov.br

terça-feira, 24 de março de 2009

Rômulo Lubachesky - Curso Ótica na fotografia

Escola de Imagem recebe o fotógrafo paranaense Rômulo Lubachesky para o curso ‘Ótica na fotografia’

A Escola de Imagem (Rua Colômbia, 375 – Sion) está com inscrições abertas para o curso ‘Ótica na fotografia’, que será ministrado pelo fotógrafo paranaense, Rômulo Lubachesky, nos dias 28 e 29 de março, sábado e domingo, das 9h às 17h.

No curso, os alunos vão aprender dicas e técnicas relacionadas à ótica na fotografia. Problemas e dúvidas comuns referentes aos efeitos e fenômenos indesejados ao se fotografar serão discutidos de forma clara para facilitar o trabalho na prática. Situações adversas de controle de luz e problemas ocasionados pelo equipamento tornarão possíveis um melhor comportamento na busca da solução ideal. Fenômenos como BOKEH, DISTORÇÃO GEOMÉTRICA, ABERRAÇÕES ESFÉRICA E CROMÁTICA, TILT e FLARE, são alguns dos pontos principais tratados no curso, que terá apostilas em PDF e certificado de conclusão.

Rômulo Lubachesky é natural de Cascavel, no Paraná, onde mora. É formado em Geologia, e proprietário da RL Fotos, que presta serviços de elaboração e execução de projetos em fotografia documental. Foi pioneiro no Brasil na obtenção de fotografias infravermelho com câmera fotográfica digital, sendo especialista no assunto. Ministrou aulas e palestras no Núcleo de Fotografia (FABICO) na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), SENAC-RS, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), e atualmente é professor na escola de fotografia Câmera Viajante.

"Acredito que um bom profissional deve conhecer tudo sobre seu equipamento de trabalho e ter tudo o que acha necessário para capturar o momento tem a oferecer. Com isso em mente, posso afirmar que é o fotógrafo o responsável pela fotografia e não o equipamento, apesar deste ser decisivo na qualidade da imagem, avalia Rômulo".

A inscrição para o curso pode ser feita por telefone ou fax (1) 3264-6262 ou enviada por e-mail (
contatomg@escolademagem.com.br).

Sobre a Escola

A Escola de Imagem tem como objetivo ensinar a fotografia e vídeo digital de forma prática e objetiva, através de didática pioneira e foco no cliente para promover maior qualidade de vida e melhor desempenho profissional. É a única escola de fotografia e vídeo de Belo Horizonte (MG), onde são ministrados mais de 32 cursos nestas áreas, sendo a escola de fotografia mais completa do Brasil.

AGENDA: Curso ‘Ótica na fotografia’, com Rômulo Lubachesky
Data: 28 e 29 de março (sábado e domingo)
Local: Escola de Imagem - Rua Colômbia, 375 – Sion – Belo Horizonte - MG
Horário: 9h às 17h
Informações: (31) 3264-6262 ou
www.escoladeimagem.com.br
Investimento: R$ 603,00 à vista ou em 3 parcelas R$201,00.
Antecipado*: R$558,00 em até 3 parcelas de R$186,00.
*Valores pagos até um mês antes do início do curso

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Rachel Wardi
(31) 3225-1116 / 3221-9241 / 8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br

Março/2009

Rachel Wardi Lopez
Ampla Soluções em Comunicação
Rua Juiz da Costa Val, 157 / sala 13 - Santa Efigênia
(31) 3221-9241 - (31) 3225-1116 - (31) 8854-2425
rachel@amplacomunicacao.com.br

Lançamento do livro - Depois da Última Lágrima

Lançamento do livro - Depois da Última Lágrima

Prezados Amigos,

É com muito prazer que chego até vocês para anunciar o lançamento de meu primeiro romance intitulado Depois da Última Lágrima. Um romance tocante que mostra o que o amor é capaz de realizar na vida das pessoas. Uma história comovente de um deficiente visual, que tenta sobreviver ao mundo preconceituoso a sua volta e conhece o amor de uma forma totalmente diferente. Uma história tocante que o levará da revolta às lagrimas, e o ajudará a entender o verdadeiro significado de um amor, e o que um ser humano é capaz de fazer em busca de um sentimento.
Gostaria então de aproveitar essa oportunidade para pedir a colaboração de vocês para me ajudar nessa batalha que é ser um escritor em nosso país. Como vocês sabem, os obstáculos são muitos, e o apoio recebido é praticamente nulo. Mas isso jamais me faria desistir de buscar meus objetivos e oferecer o melhor que posso através de meus escritos.
Este livro foi escrito com muita dedicação, a fim, de expressar da melhor forma tudo o que um tema tão importante exige. Fiz o máximo para oferecer a todos vocês meus amigos e leitores, uma agradável leitura, um livro que o fizesse tomar gosto ainda maior por páginas de agradáveis acontecimentos. Sei que tenho ainda muito a aprender e me aprimorar na arte da escrita, mas digo que cada palavra escrita foi escrita com o coração e pensando em cada um de vocês, os quais são os responsáveis por eu não desistir de lutar por aquilo em que acredito.
O preço do livro é de R$ 12,00, e para adquirir o exemplar, é só me passar um e-mail, que entregarei em mãos já autografado e com dedicatória especial. Conto com todos vocês nessa nova fase de minha vida.
Peço por favor, àqueles que puderem que possam divulgar a amigos e outras pessoas que gostam de leitura para que possamos assim atingir um maior público leitor. Aproveitem para presentear, um livro é sempre um ótimo presente.
Adquira pelo darlan.silva@strata.com.br
Muitíssimo Obrigado pela compreensão de todos vocês.
Cordialmente
Darlan.

Gabriel Guedes e Banda - Feira do Choro (28/03)

Gabriel Guedes e Banda se apresentam na Feira do Choro no próximo sábado (28/03)

A Feira do Choro (Feira Tom Jobim - Avenida Bernardo Monteiro, próximo ao Colégio Arnaldo) recebe, no próximo sábado, dia 28 de março, um convidado muito especial, o músico Gabriel Guedes e banda, para show especial de chorinho. A apresentação, promovida pelo Instituto Cultural Aletria, acontece a partir das 13h.

O grupo é composto por Gabriel Guedes (Bandolim), Geraldo Magela (Violão sete cordas), Ana Lu (Percussão) e Eduardo Braga (Cavaquinho). A apresentação, além da música em si, traz também curiosidades e pequenas histórias do mundo do chorinho. Para esta apresentação, o grupo preparou um repertório que irá homenagear Godofredo Guedes, além dos clássicos de Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Johann Sebastian Bach.

De forma a realçar o conceito e fazer circular a obra de Godofredo Guedes, cujas composições, mais do que registradas, merecem ser conhecidas e divulgadas entre o grande público, foi lançado o CD "Lembranças de Godofredo Guedes", que contém parte da obra do músico e compositor resgatadas por seu neto, Gabriel Guedes. Em treze faixas, ele revive as composições do avô, eternizando a obra desse artista que, na sua maneira simples de viver a vida e a música, conseguiu expressar a riqueza da cultura musical brasileira, sendo reconhecido nacional e internacionalmente.

A Feira do Choro, realizada após a Feira de Histórias, irá apresentar durante todo o ano de 2009 diferentes grupos de choro, para levar ao público da praça o melhor desse tradicional gênero musical brasileiro. O evento tem entrada franca e faz parte da revitalização da Feira Tom Jobim.

AGENDA: “Feira do Choro” – “Gabriel Guedes e banda”
Data: 28 de março de 2008 (sábado)
Horário: 13h às 15h
Local: Av. Bernardo Monteiro, s/n, entre a Av. Brasil e a Rua dos Otoni - Funcionários
Informações: (31) 3296-7903 e www.aletria.com.br (Instituto Cultural Aletria - Belo Horizonte - MG)

Entrada Franca

Informações para a imprensa:
Ampla Soluções em Comunicação:
Liège Camargos e Rachel Wardi
(31) 3221-9241/3225-1116/8899-0353
ampla@amplacomunicacao.com.br
www.amplacomunicacao.com.br

Rachel Wardi Lopez
Ampla Soluções em Comunicação
Rua Juiz da Costa Val, 157 / sala 13 - Santa Efigênia
(31) 3221-9241 - (31) 3225-1116 - (31) 8854-2425
rachel@amplacomunicacao.com.br

Lei Rouanet

Está começando o debate sobre a nova Lei Rouanet (vejam link abaixo).

Esse pode ser um momento muito importante para a cultura do país e representar mudanças significativas - que há muito esperamos - nas formas de financiamento da produção e circulação de bens culturais.

Mas nós sabemos que já existe uma estrutura para a qual o cenário atual é muito confortável e que vai reagir pesado a qualquer proposta de mudança.

Por isso gostaria de pedir que todos vocês se envolvam no debate. Por favor, conheçam a nova proposta, façam sugestões, críticas, observem lacunas e direcionamentos ruins. Mas também defendam, divulguem e briguem pelo que acharem interessante e positivo.

Ah, e não esqueçam de convidar amigos, colegas e companheiros detrabalho/profissão para também assumirem um papel ativo nesse debate.

Acima de tudo, lembrem que este é um momento de construção, que não pode ser abortado sem uma discussão aprofundada do que o país quer para o fomento da cultura.

Hoje, às 14h, será divulgada no Terra Magazine a íntegra da proposta para a nova lei, que estará em consulta pública a partir de segunda-feira. Vocês podem ver uma prévia das questões no link abaixo.

"Nova Lei Rouanet terá maior presença do governo e de empresas privadas"

Iuri Rubim
Blog das Ruas
http://iurirubim.blog.terra.com.br