domingo, 8 de julho de 2007

Faltam 235 mil professores nas escolas do Brasil


Faltam 235 mil professores nas escolas do Brasil

O relatório elaborado pela Câmara de Educação Básica (CEB) do Conselho Nacional de Educação, revelou que o Brasil possui uma defasagem de 235 mil professores para o ensino médio, sendo as disciplinas de Física, Química, Matemática e Biologia as mais afetadas. O levantamento divulgado na última terça-feira (03) aponta que o baixo investimento em educação é a raiz do problema, sendo o Brasil um dos países que menos paga aos seus professores no mundo. No Nordeste, um professor de Ensino Médio ganha, em média, cerca de R$ 820.

Para a presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Juçara Vieira, isto faz com que cada vez menos jovens sigam carreira no magistério.

“Existem pessoas vocacionadas para a área da educação, mas elas não conseguem se dedicar porque os custos dos cursos não compensam os salários que elas vão receber como profissionais”.

O relatório da CEB aponta ainda que 44% dos alunos da rede pública estão nos estágios de aprendizagem considerados “crítico” e ”muito crítico”. Para Juçara, a qualidade do aprendizado está diretamente ligada às más condições de trabalho dos professores.

“Essa realidade de professores itinerantes, que de manhã estão numa escola e de tarde em outra, em nada ajuda a qualidade da educação nas escolas públicas que atendem especialmente as classes populares, aquelas que mais demandam educação patrocinada pelo poder público”.

De acordo com Juçara, a luta dos trabalhadores da educação hoje é pela instituição de um piso salarial nacional. O Projeto de Lei (PL) 619, deste ano, enviado pelo governo federal, já tramita no Congresso com este objetivo. Mas Juçara afirma que os valores propostos ainda não atendem a categoria.

De São Paulo, da Radioagência NP, Vinicius Mansur.

3 Comments:

Anônimo said...

Até quando vai durar esta situação de penúria em que se encontra o professor da rede pública no Brasil? O salário não dá para pagar condomínio, aluguel, conta de luz,etc.É lastimável constatar que um professor não tem dinheiro nem para comprar um livro.
O professor anda envergonhado da própria situação.

railane said...

Bom eu sou formada em Ciências Biológicas estou com sede para exercer a profissão e não acho onde falta professores eu me mudaria ate para o norte se fosse preciso se souberem onde se cadastra para essas cidades onde sobra vagas fica aqui meu e-mail: railanealves@hotmail.com

aline said...

Aline
Sou formada em Lingua Portuguesa,a cinco anos e trabalho como eventual na rede estadual de ensino.Gostaria de saber quais os estados que a demanda de professores esta em baixa,pois neste caso eu iria com prazer a qualquer lugar do Brasil para exercer minha profissão.
Ser professor eventual do estado de SP,significa nao obter respeito dos alunos e demuitos diretores, nao receber seu salario em dia e principalmente caracterizar sua profissão como um fato muitas vezes terrivel de submissão.
E-mail: alika.br@bol.com.br